.


Reflexões II

      Saudações Santistas.

      Para mim, estilos de capoeira - consagrados ou não - são iguais aos vários sotaques que existem no Brasil. Cada Região ou Estado tem o seu e, ao contrário do que muitos pensam, eu aprecio todos. Até porque, com o mínimo de boa vontade ou algum interesse, a comunicação se estabelece sem problemas e todos aprendem. O que eu não costumo apreciar nesse caso é quando alguém quer se passar por natural de outro lugar só porque fala imitando o sotaque de lá. Fica feio demais!
      Resumindo:   meu problema não é com os estilos.   É com o autoengano.

***

      Em minha opinião, a diferença que existe entre praticar a capoeira como luta e praticá-la como arte-marcial é a mesma que existe entre as atividades de um pintor de parede e de um pintor de quadros. Ambas as atividades têm o seu valor e basicamente necessitam dos mesmos materiais para serem realizadas: tintas, pincéis e afins. A diferença é que normalmente, ao final, só o resultado de uma delas é considerada obra de arte.

***

Está dito.
Mestre Ribas
Santos, 05 de julho de 2012.



Site criado por Nilton Ribas Martins Júnior
Idealizador e fundador do Grupo Capoeira Santista